quarta-feira, 21 de julho de 2010

Dungeon Tiles



Hoje chegarm uns Sets de "Dungeon Tiles", peças de tabuleiro para montar dungeons e cenários para batalhas de D&D. É a onda do momento! Eu comprei uma meia dúzia de sets, e dá pra fezr um monte de combinações com eles! Os combates são bem detalhados e estratégicos, levando em consideração o terreno, elevação e cobertura dos PCs e monstrengos. Claro, precisa ter um bocado de miniaturas para se usar esse módulo, eu pensei em fazer a coisa usando desenhos, (ainda não abandonei a idéia, principalmente para jogo Online) mas sucumbí a tentação das minis, elas são simplesmente legais demais pra não ter! hahaah, já comprei mais de 100... hahaha... Além dos Tiles, existem uns "Game Mats" que são uns mapas grossões lisos e quadriculados, onde o DM desenha com um canetão para representar os elementos de cena, bem prático para situações improvisadas. Conhecí os Game Mats da Paizo, que publica o "PATHFINDER" (considerado herdeiro espiritual do D&Dzão) na RPGCon.



As miniaturas vem em Booster bem legais como os da foto, mas tbm compro bastante peças individuais, eu tenho algumas de metal novas, além das minhas velharias de chumbo que tenho desde os tempos de Itiban, mas a maioria das atuais é pré pintada e de plástico, muito conveniente pois não quebram ou amassam facilmente como as de metal, que exigem um puta cuidado. é legal que as peças vem com um card para referência rápido, ou seja, para um combate não precisa anotar numa fgolha as Stats do montsro e nem deixar o MM aberto na mesa, basta puxar o card específico e bang tá lá tudo que o DM precisa para a ação de combate.




O uso de miniaturas em cima de matriz de combate foi a primeira idéia do D&D desenvolvida pelo Gary Gigax, a idéia era um jogo de combate estratégico onde cada miniatura representasse um personagem e todas tinham características individuais, como AC, HP, atk e dano, e ao adquirir experiência (XP), eles evoluiriam esses atributos. Quando ele se juntou ao Dave Arneson surgiram as ideías que trasformaram o jogo no que conhecemos por Role Playng Game. no início do D&Dzão 1ed, o uso de miniaturas era atrelado á visualização da ordem que os personagens ocupavam dentro de um corredor num Dungeon por Exemplo (pra saber que ia cair numa armadilha) e para definir a ordem que mosntros atacariam. NO AD&D e com os surgimentos dos Campaign Settings o jogo se expandiu muito e saiu dos Dungeons para ocupar espaços mais amplos, e as minis deixaram de ser tão importantes. Porém era admitido que o sistem de combate não era nada preciso e dependia muita da narrativa de DM, mesmo assim existe um velho suplemento do AD&D 1ed que lida com o assunto. As aventuras publicadas em todas as campanhas, apesar de não exigirem necessariamente as miniaturas sempre foram recheadas de mapas de Dungeons. Claro, pelo fato de o Dungeon ser um lugar fechado, deixa a ação e as possibilidades de narrativa contidas dentro de um universo mais controlável pelo DM do que uma ação que engloba "todos os lugares". Havenloft foi o campeão do uso de Dungeons e mapas, quase que toda a aventura acontecia "indoors" . No final da 2a ed. já com os livros "Players e DM Options" se introduz novamente o uso de minis para representar o combate, eles pavimentaram o caminho para a 3e, onde isso já faz parte do PHB, e a 4e, foi ainda mais longe adaptando praticamente tudo ao uso de miniaturas, as vezes acho que foi longe até demais, ignorando algumas regras que eram muito boas e simplificando demais algumas outras.

Mas, independente da edição ou sistem usado, o bom das minis é que vc pode usar elas em qqr sistema. Pode ser Gurps, pode ser D&Dzão basicão primeira edição, D&D 4e ou AD&D as miniaturas são compatíveis com qqr sistema e são uma forma precisa de representar situações complicadas de combate. Claro que o apelo visual é grande a acho que isso é um puta chamariz para crianças e adolescentes que estão aderindo ao hobbie, sem dúvida. E eu não podia ficar de fora dessa hahahahaha.... Mas comparando com os velhos rascunhos em folhas de caderno, os dungeons tiles parecem muito mais maneiros, sem sombra de dúvida!



Olhem o Arthurzinho nas fotos... ele estava super animado com as minis, e até agora ele pensa que RPG é um jogo de miniaturas... nós (Eu o Gugu e os amigos dele) jogamos algumas partidas com minis em peças de tabuleiro impressas no computador, (antes de chegarem esse Tiles) e o Arthurzinho fica que nem um mascote em volta interessadíssimo em tudo... É muito divertido ver ele pulando e quase dentro do jogo durante as cenas de combate mais intensas... hahahaha.... Enfim... estão aí algumas fotos pra vocês curtirem!

Abraços!









4 comentários:

frozzzt disse...

E aí? nada mal essas miniaturas hein? meu velho mestre! haha!

Carlos Luzzi disse...

Opa, massa mesmo né? Muito divertido jogar com minis. Fui seu mestre alguma vez? num lembro de seu nick. Abs!

Welliton Luís de Lara disse...

Que tesão e tem muito material! Os tabuleiros são gigantes. E esse Dragão? Curti muito!

Carlos Luzzi disse...

Boi, Os tiles são infinitos, dá pra ir emendando e customizar como precisar. È show de bola mesclar encontros narrados e alguns mais táticos usando os tiles. Tenho várias caixas deles, e uma quantidade ignorante de miniaturas, hehehe É bem visual e muito fácil de usar.