terça-feira, 31 de agosto de 2010

Garganta Online: O Enigma do Ettin - Parte 4

Parte 4 – Confronto na Torre de Stondilus (Final)


A parte final da aventura foi emocionante. Achei a interpretação dos personagens muito boa, e as escolhas tomadas muito acertadas. Ficou aquela sensação gostosa de aventura bem resolvida. Isso é gratificante pro DM também, quando os jogadores conseguem entrar dentro da trama e resolver o que está por debaixo do manto. A interpretação da Nayaha extrapolou minhas espectativas, e a personagem tomou uma direção até inesperada. Rowdy foi retratado de maneira excelente pelo Érico, que fez uma bela interpretação de um Minotauro, anos depois de ter criado a primeira versão do personagem.


A aventura foi baseada na aventura original publicada pela Wizards  na revista Dungeoun,  the Ettin´s Riddle de JD Wiker. Eu usei o background da aventura, e tomei ela pra mim, mudei tudo o que precisei para adaptar à campanha.Mesclei com elementos que eram pertinentes a cada personagem. Adicionei o labirinto, a fortaleza de Stondilus, integrei Kyrnym no na história. O elemnto divino, já estava presente, era apenas uma questão de o Turgon chegar e tomar conta de seu papel. O interessante, foi que no fim, as idéias que os jogadores tiveram, levaram a caminhos  inesperados, proporcionando uma história bem diferente da proposta na aventura. O final, foi mais climático do que podia se esperar, com transformação do gigante, e a morte de Hartmund nos braços de Nayaha. Nada disso estava "pre definido" na aventura., tudo ocorreu organicamente, e no fim saiu até "melhor do que no roteiro". Isso para mim é o mais interessante do RPG, a forma orgânica de como a história ganha vida de acordo com os atos dos personagens. Muuuito legal!



Resenha da Aventura

Após o desabamento das escadarias, os personagens encontram-se próximos a saída. Existe uma porta grande alguns níveis acima, e uma outra porta do outro lado do grande fosso que lavaria mais para dentro da construção, possivelmente um templo. Muitas horas se passaram, e os PCs resolvem Tentar a porta acima, que supostamente levaria para fora, uma vez que via-se faixos de luz pelas suas frestas. Para atingir o local era preciso escalar. Nesse ìnterim, o grupo é surpreendido por Aranhas Gigantes, algumas do tamanho de um cão grande. Após uma batalha feroz, com Rowdy e Turgon ainda no meio do caminho se livram das aranhas para por último enfrentar um Goblin, montado numa Aranha gigante. A luta se dá em meio aos paradões, um passo em falso significaria a queda para a morte. Eles vencem. Gert Whinewisker avisa, esse é apenas o primeiro de muitos. É preciso sair logo, antes que um enxame de Goblins tome conta do local.

Usando a Força Turgon e Gert conseguem abrir a enorme porta de pedra, após Nayaha abrir parcialmente com o painel mecânico que controlava sua abertura. Ao saírem pela porta encontram-se no topo dos Picos da Espiral do Trovão. Algumas centenas de metros á frente está a torre de Stondilus, na mais alta rocha na encosta da pedra. Já começa a anoitecer. Turgon começa a passar mal, ele havia sido picado por uma das aranhas, estava tentando esconder a dor, mas não suporta. Ele toma a sua última poção de cura para conseguir aguentar, mas precisa preparar uma antídoto ou em pouco tempo morrerá.
Sem demora, os personagens se dirigem á Torre. Para surpresa de todos encontram o Gigante dormindo logo no Hall principal. Rowdy ataca o monstro que recua, se protegendo. Quando os PCs se aproximam, o gigante se identifica, em prantos:

Eu já fui outrora um humano, mas não me lembro meu nome. Essa é minha maldição. Meio homem meio monstro, uma cabeça em duas cortada. Fujam enquanto podem, ou então tirem minha vida, para acabar com a sofrimento dessa pobre criatura.

Os Pcs percebem que trata-se de uma cabeça boa e uma cabeça má. Ele conta que teria sido outrora humano (Hartmund, clérigo. Mas não lembra-se de seu nome) e que viera com um grupo de mercenários em busca da recompensa pela cabeça do mago que vivia nessa torre, ele já não se lembrava mais o nome. O mago o teria transformado num gigante de duas cabeças, um Ettin. Sob seu controle, ele teria matado quase todos os seus companheiros. Apenas um teria sobrevivido, ele alimentava o Ettin, mas teria ido embora à semanas.

Hartmund ia ao templo próximo a New Keep em busca de iluminação, mas tudo que recebia era o Enigma. Enigma este que não conseguia decifrar. Ele acreditava que Helannus o havia abandonado, e sua maldição era que quando humano dominava Spells clericais capazes de remover a maldição que lhe afligia, (remove curse) mas agora transformado em Gigante, não era capaz de realizar magia alguma, e a cada dia esquecia mais os fatos de sua vida como humano.

Com o tempo a segunda cabeça do gigante, que era apenas uma cabeça dormente, desenvolveu personalidade, nomeando-se Muk, e passando a controlar o corpo por conta própria enquanto estava acordada. Ele descobriu a aldeia de Neew Keep, que virou alvo de seus ataques selvagens. Hartmund não podia fazer nada enquanto Muk realizava suas ondas de ataques irracionais. Ele não era mais do que um passageiro assistindo a brutalidade e selvageria de sua cabeça maligna.

Hartmund pede que o matem de vez para livrá-lo do sofrimento, mas Nayaha adverte que não.

Rowdy tenta cortar a cabeça má, mas acaba falhando e acorda Muk, que toma controle do corpo, e ataca ferozmente o grupo. Um combate feroz ocorre dentro da torre, e depois evolui para fora, quando o gigante arrebenta as paredes da torre com um golpe que dá em Rowdy, arremessando ambos para fora. O grupo tenta atingir apenas a cabeça perversa, numa difícil luta. Finalmente num golpe certeiro Rowdy decapita o monstro. (Criiitical!!!)

Nayaha conduz Turgon, quase morto, para o laboratório do Stondilos. Usando os ingredientes que ali foram abandonados, Turgon a um fio da morte oriente Nayaha em como preparar o antídoto. Após falhar uma vez Nayaha consegue (Wild Card!!!) fazer a poção consumindo todos os ingredientes. Turgon é salvo por um triz.
O monstro decapitado no chão está praticamente morto. Uma poça de sangue ao seu redor. Nayaha traz Turgon, que com suas últimas forças cura o Gigante. Nayaha faz um torniquete no pescoço amputado. Com poucas forças, mas vivo o Gigante agradece Nayaha e Turgon por sua compaixão, mas pede que o deixem morrer. Nayaha o instiga a lembrar-se pede que se esforce para lembrar quem era (Charisma Check!!!). Ela tem esperança de que seja Kyrnym. O gigante tenta, mas tudo o que Ele se lembra é o enigma que recita novamente.

Duas cabeças nós temos, mas com uma nascemos
Nós curamos, lutamos e protegemos


Nosso mestre era a luz
Mas trouxemos trevas
O chifre negro nos atrai.
E nosso pai nos deixou



Esse é nosso destino,
Uma cabeça
Em duas cortadas

Mas em prantos ele diz não entender, e não consegue achar a solução. Nayaha sugere que ele se arrependa de seus erros, o Enigma sugere que ele teria sido bondoso, mas teria se desviado. O Gigante pensa e parece se iluminar. Ele percebe que havia tornado-se um mercenário, e teria abandonado os princípios de sua fé, para perseguir ouro e glória, em seu próprio nome e não por Hellanus. Turgon intervém, e ressalta - É por isso que você está nessa condição, Hellanus lhe privou de suas magias divinas. O gigante se arrepende, mas é tarde demais. Turgon, não pdode fazer nada sozinho, pois ele mesmo não possui poder o bastante para evocar tal magia divina para despelir a aflição, então num último ato desesperado dá as mãos ao gigante

- Concentre-se irmão! Busque sua fé! Me use como canalizador divino e através de mim, receba a sua magia para despelir esta aflição! Por Lólindir! Por Hellanus!

Enquanto ele fala um forte vento se abate sobre a montanha, as núvens se agitam no céu.

Nesse momento uma luz forte como o dia irrompe de dentro do Gigante entrando em Turgon e voltando para o Gigante. Ambos levitam do chão, e num flash de fumaça e luz, a magia se desfaz. Restam no chão caídos, Turgon e um humano em meio aos trapos enormes que vestiam o gigante.

Nayaha se aproxima, na esperança de encontrar Kyrnym, mas quando ele toma o homem moribundo em seus braços percebe que não é ele. Nayaha indaga se ele conhecia Kyrnym. O homem lembra-se de seu nome, e se apresenta como Hartmund. Kyrnym fora um grande amigo.

- Você deve ser Nayaha... Kyrnym te amou, mas a união de vocês é impossível. Você é uma mulher marcada e Kyrnym também. A união de vocês significaria a sua morte. Por isso Kyrnym foge de você. Ele fugiu para o Sul, não sei ao certo para onde...

Num último suspiro, ele agradece por terem o ajudado a enxergar a verdade, e como teria se tornado mal. E que agora poderá descansar em paz junto a Hellanus. Ele morre.

Nayaha o enterra com os demais no cemitério em Old Keep. Turgon presta os devidos ritos funerários.

O grupo volta vitorioso para New Keep. Gert, o Dwarf carregando a cabeça do Gigante maligno como um troféu. O povo da cidade celebra a vitória. Uma fogueira é acesa no meio da cidade, há dança e música, New Keep celebra esse dia. Todos saúdam os heróis da aldeia, Rowdy é o centro das atenções contando ás crianças suas façanhas enquanto dança em cima de uma das mesas, Gert conta piadas e aumenta ainda mais a história. Turgon comemora á sua maneira, bebendo, mas mais discreto. Presta suas oração a Lolindir, e agradece por ter saído vivo. Ele se une a Nayaha e pede que ela não fique cabisbaixa, pois apesar de não ter encontrado Kyrnym, ao menos ela sabe que ele está vivo, e quem sabe possa encontrá-lo num futuro próximo. Turgon agradece a Nayaha por te salvado-lhe a vida. Turgon sugere que poderia casá-los, mas Nayaha encerra a conversa dizendo que não gosta muita doa idéia de casamento.

Rowdy pretende seguir para uma cidade maior, em busca de mais aventuras. Ele gostou da forma como foi recebido e a sensação de ser um herói é melhor do que imaginava. Ele pretende se tornar um grande herói, conhecido no mundo todo. Além disso ele descobriu a entrada para um labirinto que ainda guarda muitos segredos sobre sua raça, quem sabe o que ele poderá encontrar lá ainda. Ele se despede temporariamente de seus amigos, quem sabe os encontrará num futuro não tão distante, onde ele, Rowdy, será conhecido em muitos reinos como o “Chifre Vencedor”.

Nayaha e Turgon seguem para o Sul. Atribulações requerem a ação rápida e certeira da Ordem Branca. Elfos e outras criaturas Feéricas estão sendo dizimados por uma força sinistra. Turgon é um missionário pronto para entrar nessa cruzada. Nayaha Decide ir junto, ela pretende saber sobre sua família que se encontra em Slargiea. Ela desenvolve grande simpatia pelo clérigo, que diz a ela que siga com ele pois assim ele se sentirá mais seguro, afinal Bispo aparentemente estava errado. Nayaha é que lhe salvaria a vida, e não o contrário.

Um comentário:

Carlos Luzzi disse...

Caras, foi muito legal jogar com vocês de novo. conseguimos 4 seções em 5 semanas. Nada mal!

Ps, vejam o INDEX, basta clicar os Garganta Online para acessar as postagens com esse TAG, e visualizar as 4 seções em sequência.

Abs!