quinta-feira, 13 de novembro de 2014

A Aventura Bufa dos Anões

PARTE 1

-Tordeck e Morgram chegam em Lanthay, um antigo porto em Tulich trazendo uma carga de Ale Robusto Anão, vinda de Dwarvenreigner.
- A carga se desprende do carroção no alto do morro, e quase perdem a mesma.
- Eles recuperam a carga, e no meio do proceso, encontram um monge que oferece valor mais alto do que o normal. 
- A carga é vendida para o monge, e eles rumam para a taverna em Lanthay para comemorar o bom negócio.
- Eles se encontram com Taglad, um anão mercante que deveria receber o tal ale, como havia sido combinado, ele está acompanhando de Simon Gartlander. Há uma trupe gigante de piratas que pretende beber o ale. 
- Os anõs não conseguem explicar como venderam para a pessoa errada e uma grande confusão se inicia.
- Luta generalizada na taverna, anões aguentam uma quantidade massiva de piratas.
- Anões localizam o monge e escapam no meio da luta.
- Perseguem o monge e como ele não colbora em devolver o ale, acabam o nocauteando e pegam o conteúdo de volta.
- O Ale é vendido pela segunda vez para Taglad, os anões obtém o dobro do lucro.
- Comemoram a noite toda na taverna.
- Tordek vê um dos piratas de Simon recolhendo um ítem dentro de um barril.
- Na manhã seguinte os barris são descartados no mar e afundam.
- Simon, fala que gostaria de oferecer um trabalho aos anões, e os convida ao seu navio na noite seguinte.

PARTE 2

- Anões acordam após a segunda noite de comemoração. Uma das rameiras em seu quarto está fugindo, levando toda a bolsa de ouro.
- Anões nus perseguem ela pela taverna, mas ela foge. 
- A perseguição se estende ao porto, no meio da noite. 
- Morgram agarra a ladra tiefling, mas ela joga o ouro no mar. 
- Tordeck salta para pegar e quase se afoga.
- Morgram precisa solta a ladra para resgatar o irmão. Ambos se salvam, mas o ouro está perdido.
- Sloth surge no porto, um anão muito forte, é um parente cujo contato foi a muito perdido, dado como morto. Ele trabalha para Simon e leva os dois para conhecer-lo
- Os anõs chegam no navio, a na cabe de Simon conversam sobre um trabalho. 
- Ele promete que dobraria a quantidade de moedas que tinham na bolsa, para que resgatem um velho tesouro sem valor monetário. 
- Após negociar, Morgram consegue dobrar ainda mais uma vez a bolsa. 400 peças de ouro, uma pequena fortuna.
- Durante a viagem, Sloth luta numa arena improvisada no navio com um Cocatriz, vence e é ovacionado. Sloth é escravo, mas feliz.
- Chegam a ilha da Caveira Caolha, uma locação famosa entre os navegantes, mas praticamente desconhecida para os anões. 
- O grupo de 15 anões desembarca e segue para a mina abandonada.
- Nos corredores da mina enfrentam alguns contratempos, Tordeck se perde com o mapa de Simon,
- Caem na toca de algumas aranhas, e enfrentam um desmoronamento provocado por eles mesmos.
- Caem do abismo, todos os 15, mas a maioria sobrevive. Anões são mesmo "duros na queda".
- Finalmente encontram a Câmara do tesouro, em corredores que parecem estar a muito abandonados.
- Quando abrem a passagem encontram um sepulcro com uma menina acorrentada.  
- A menina parece dormir, Sloth diz que "ela é o tesouro".
- Ela abre os olhos.

PARTE 3

- A menina abre os olhos. Totalmente negros!
- Está assustada, agressiva, sem saber onde está. Depois se recolhe com medo.
- Eles conversam e a menina suplica por liberdade, ela se apresenta como Meliode.
- Tordek pergunta quem seria seus captores. Ela os identifica como anões degenerados, os Duergar, que a mantém cativa por muitos anos. Ela possui um medalhão com uma opala brilhante que drena suas forças.
- Morgram decifra inscrições na porta. “Nas profundezas deste salão, encontra-se o tesouro de Gargigax. Homens ajuizados não prosseguirão”.
- Eles se deslocam pelo corredor, mas Morgram se interessa pelo assunto do tesouro, Sloth concorda.
- Surgem Duergar que ordenam aos invasores que se rendam.
- Iniciam uma fuga pelos carros da antiga mina.
- Os vagões ganham velocidade e inicia-se uma perseguição frenética.
- Durgars se aproximam e tentam arrancar Meliode do carrinho, Morgram  e Sloth impedem.
- Duergars atravessam um terceiro carro lutando com os anões bucha de canhão e se aproximam de Dankko e Tordeck
- os carros entram na parte onde os trilhos estão elevados, como uma montanha russa. Um grande abismo a baixo.
- Morgram e Sloth lutam com os Duergar, um deles é arremessado longe. Morgram quebra o freio do carro.
- No outro carro os Duergar se livram dos primeiros anões, jogando dois deles para baixo e iniciam a luta com Dankko e Torrdeck.
- Sloth corta a cabeça de um dos Duergar, Tordeck se joga no outro carro com seu escudo, mas acaba quebrando a parede lateral do carro e fica pendurado por uma mão apenas.
- Dankko se livra de um dos invasores, martelando-para o para o abismo. Tordeck defende a linha com seu escudo, enquanto golpeia o outro dos anões cinzentos.
- Os trilhos começam a se afastar e se entrelaçar, Duergars se aproximam em alta velocidade cruzando os trilhos dos anões e agarram Meliode.
- o velho Dankko salta se pendurando nos Duergar no carro acima, e derruba Meliode que cai no carro abaixo, nos braços de Tordeck, que com uma marretada tomba o carro que iria colidir com eles.
- Repentinamente, os trilhos acabam, logo a frente. Morgram tenta frear, mas o freio quebra novamente. Morgram e Sloth tentam usar a corda para se pendurar, mas são lançados ao abismo.
- Dankko se pendura com o warhammer na estrutura no topo da mina, Tordeck se pendura nele e Meliode em Tordeck. Eles balançam como um pêndulo.
- Os Duergar vão caindo com a inércia, todos voando rumo ao abismo a frente.
- No fundo, Morgram resiste á queda, pois anões são mesmo duros. Mas Sloth parece não ter tido a mesma sorte.
- Tordeck desce as pressas, trazendo Meliode consigo. Ela usa sua magia bondosa e cura Sloth.
- Ela acaba curando também três dos Duergar. Os Duergar admitem a derrota, e dizem que os anões lutaram bem, merecem levar a prisioneira. Mas advertem, o futuro será terrível aos habitantes dessa montanha, pois apenas o canto de Meliode mantem o “Leviatâ” adormecido.
- Naquele momento sons destruidores vem do fundo da caverna e os Duergar se põe em fuga aterrorizados.
- Surge uma criatura reptiliana, enorme e feroz, com escamas negras, seis pernas longas e olhos grandes e iluminados com um brilho verde. Ele vem quebrando as paredes da caverna, e devastando tudo em seu caminho.
- Morgram e Sloth Tentam quebrar o medalhão, mas não conseguem. O canto de Meliode é inútil, agora que a criatura está enfurecida.
- Em fuga os anões cruzam com estátuas de anões parcialmente destruídos.
- Tordeck e Sloth ficam para trás. Curioso, Sloth dá uma olhada na criatura e o simples olhar começa a endurecer suas pernas que vão virando pedra. Tordeck o ajuda a correr e sloth se salva da petrificação.
- Os anões sobem freneticamente as escadas rumo a saída, que Morgram identificara pelas sinalizações nos túneis.
- Aterrorizados muitos dos anões não conseguem evitar olhar para a criatura que rugia atrás deles, e no caminho vão se transformando em pedra. O Basilisco gigantesco para e devora alguns deles.
- Dankko deixa que todos vão na frente, e fica para trás para quebrar uma estalagmite na cabeça do Basilisco. Ele consegue atrasar a criatura, que leva um golpe certeiro. Dankko começa a correr, pois parte do túnel começa a desabar após esse golpe.
- No meio da fuga, Meliode encontra um bolsão d’água. Anões costumam não gostar da água, mas ela aponta como a única saída daquela enrascada.
- Eles mergulham na escuridão. Mas á frente começam a enxergar as luzes. A travessia é longa, Sloth não sabe nadar e engole água. Mas Meliede, uma criatura da agua dá a ele sua mão e o conduz pela passagem.
- Atrás deles a destruição das pedras que desmoronam, e a frente surgem as luzes que deixam as águas mais translúcidas, e finalmente a visão do pássaro negro.
- uns poucos anões retornam da aventura, emergindo nas águas frescas na baía, e trazem consigo o tesouro que Simon procurava.
- Mas logo após a chegada deles, as águas se agitam! O Basilisco Gargash emerge furioso, com suas imensas mandíbulas e seis garras!
- os piratas de Simon atacam com o que tem em mãos, lanças, cutelos e flechas são lançados ao ar. Dankko protege a menina, Tordeck protege os dois com seu enorme escudo dos golpes do Basilisco. Vários piratas são transformados em Pedra!
- Sloth e Morgram procura as balestras do Navio, mas Sloth é mordido pela fera, que quase o parte em dois!
- Morgram acerta uma flechada certeira no olho do basilisco! A flecha se transforma em pedra e a criatura excruciante se retira para as profundezas do oceano!
- Vitória! Os piratas comemoram!
- Morgram é saudado pelos piratas pelo golpe certeiro, mas ele não está feliz. Acusa Simon pelas mortes dos anões, e de Sloth. Simon apazigua sua ira com mais ouro.
- Valtimorh surge e carrega Meliode pelo braço. O seu colar com o medalhão verde brilhando...
- Ela consente, enfraquecida pelo medalhão, meio arrastada e entristecida, mas antes de desaparecer no castelo de proa, ela dá um leve toque no corpo de Sloth, caído aparentemente morto.
- Mesmo ferido, Sloth abre os olhos e vive. (Boi, ela é uma Ninfa, usou é um cleric spell, cure serious wonds, lvl 6, - que não requer pulsos de cura - Perfeitamente legal dentro das regras) ;)
 - A comemoração segue pela noite toda, Simon enriquece os anões com uma bolsa cheia de ouro! Ele fala para que não deem muita atenção ao bruxo, e contiuam a comemorar, com muita bebida. Mas os anões parecem não estar totalmente satisfeitos. Dankko pede para que Simon guarde o seu ouro consigo.

EPÍLOGO

- Alta madrugada, os três se esgueiram até a cabine de Simon.
- Morgram abre a porta como um ladino, e eles encontram a cabine  transformada num laboratório de bruxaria.
- Meliode está amarrada numa coluna no meio, o velho adormecido.
- Eles cortam as cordas e Morgram delicadamente retira o medalhão de seu pescoço.
- Meliode os agradece por sua liberdade e diz que as ninfas da água nunca se esquecem.
- Ela salta para o mar junto com as primeiras luzes do sol.
- Quando os anões estão descendo as escadas do castelo de proa ouvem os gritos do bruxo. Maldições a pragas são rogadas e uma imensa bola de fogo arrebenta uma das paredes da cabine de Simon. Uma agitação toma conta do convés! O bruxo transtornado grita com raiva – Onde está a ninfa?!! Onde está a ninfa?!!
- Mais bolas de fogo atingem o convés e voa pelos ares, o bruxo desconfia dos anões. – Foram vocês! Seus vermes! Mas Simon intervém, antes que a navio fosse completamente destruído, e com Fedor contém a fúria do bruxo.

- E Assim, o que restou do Pássaro Negro ruma de volta a Lanthay, os anões agora um pouco mais ricos, mais unidos do que nunca e com algumas boas histórias bufas para contar na taverna mais próxima.


FUN FACTS!

  • I Ilha da Caveira Caolha foi governada por Quatro Reis Necromantes, que escreveram o famoso “Livros dos Quatro”. Os necromantes teriam alcançado a imortalidade através de seus feitiços, mas anos mais tarde foram mortos por Gargigax o dragão verde (ninguém apontou, mas o nome é um trocadilho com Gary Gigax).
  • Os Duergar são o povo que sobrou dos dwarfs que habitavam a ilha antes mesmo dos reis necromantes. A escravidão e depois a servidão ao dragão os tornou criatura soturnas e frágeis ao sol.
  • Na segunda viagem há 13 anos, Valtimorh havia sequestrado a oráculo Melíode para que lhe revelasse o tesouro de Gargigax, mas perdera a menina para os Duergar.
  • A Ninfa era filha de Dashária, a sacerdotisa de Aliadanan que traiu sua deusa e se tornou uma feiticeira, líder dos “Togados”. Como punição Aliadanan tirou sua filha, ainda bebê, que se tornou uma ninfa.
  • Valtimorh ficou louco e frustrado soltando fireballs pelo navio. Isso foi um easter egg para os old players que representa o temperamento pavio curto do bruxo mais antigo da campanha!
  • Ele está atualmente ficando velho, com mais de 100 anos e precisa desesperadamente de novos meios de se perpetuar, o livro dos 4 era sua grande esperança!
  • Simon Gartlander foi transformado em pedra por um Basilisco na primeira expedição á Ilha da Caveira Caolha, antes mesmo de conhecer Valtimorh. Rupert o levou para fora da Ilha e reverteu o efeito com magia, um ano depois. Mas não conseguiu se livrar do Basilisco na época!Naquela manhã no dia seguinte Simon troca olhares com Dankko e entende o que ele quis dizer com o que tinha falado na noite  anterior. Mas deixa passar e se faz de desentendido. Afinal, ele tem algum coração.
  • O conteúdo dos Barris que afundou no capítulo 1 eram os corpos do Monge Greven e do tio mercante Taglad, junto com os acólitos. Tanto Taglad quanto Greven sabiam da existência da chave num dos barris. Ambos pretendiam vende-la para Simon. Quando o Monge os abordou na estrada, já foi com essa segunda intenção. Quando ele voltou para a taverna, era para vender a os barris com a chave para Simon, ele procurou, mas não achou o compartimento secreto, por isso teve que tentar vender o lote todo. Ele havia procurado Simon no navio e Sloth informara que ele estava na taverna. Lá o monge perde os barris para os anões novamente. Naquela noite o monge retorna e no navio de Simon encontra com Taglad, ele discute dizendo ter sido roubado por anões e quer a sua parte da recompensa. Taglad chantageia por mais dinheiro. Simon decide silenciar os dois. Naquela noite Dankko vê que os dois são mortos, assim como os acólitos. Simon manda colocar eles nos barris e jogar no mar sem que ninguém veja. Assim os barris afundam na água escura de Lanthay, o que foi o mistério no fim do capítulo 1!